Aleandro Passarinho e Dr. Ricardo são sabatinados em reunião no Centro Miguel Dell’Acqua

366
3682

CANDIDATOS

DR. RICARDO E ALEANDRO: RESPONDENDO AOS QUESTIONAMENTOS ACERCA DE SUAS METAS E PLANOS DE GOVERNO

Como já é de praxe no Centro Cultural de Educação Sócio profissional Miguel Dell’Acqua em época de eleição, juntamente com o Programa Vida Nova, a promoção de um encontro entre os candidatos que disputam o pleito atual, ontem à tarde eles foram sabatinados pelas crianças e educadoras das instituições, com participação também dos pais. Sendo um evento organizado e dirigido por colaboradores das duas instituições e por Claudete Carvalho, o qual tem por objetivo promover cidadania, através da interação entre o público e os candidatos, quando estes tem uma oportunidade ímpar de expor seu plano de governo.

Interpretaram as perguntas das crianças e adolescentes Emilly Fernanda Brito
e Estephane Coelho. As indagações formuladas pelas educadoras, foram interpretadas por Maria José Martins Santana e Débora dos Santos Coutinho, que fez as perguntas mais pertinentes, quando indagou acerca do porquê de tanta gente trabalhando nos comitês e porquê ambos se consideram o melhor candidato para Fortaleza.

INTÉPRETES PERGUNTAS-CANDIDATOSSABATINADOS: CANDIDATOS SENDO INDAGADOS POR CRIANÇAS E EDUCADORAS

Dr. Ricardo ao referir-se ao número de pessoas no comitê disse que “a corrida eleitoral não poderia chegar a esse ponto”. “Eu acho que é momento de a gente promover mudanças, que vão refletir na vida de vocês. (…). Infelizmente algumas pessoas do grupo acham que prendendo a pessoa no comitê ele vai votar. Eu prefiro prender ele com planos de governo, dialogando, do que prender com um salário no comitê. Mas infelizmente o ritmo da política aqui é muito diferente. Eu particularmente também faço a pergunta: porque tanta gente no comitê? Porque tantos carros alugados? Porque tantos gastos desnecessários que existem. Eu acho que a gente tem de ter a consciência que ninguém está correndo pela prefeitura, a gente tem de correr é pelo bem-estar de vocês e da Fortaleza”.

Já Aleandro Passarinho entende que o número de pessoas no comitê “é a questão do eleitor. O eleitor quer ficar perto do candidato. Então quando o candidato é muito popular, muitos eleitores o procuram para trabalhar no comitê dele. É por isso que acontece assim. [O grande número de pessoas trabalhando]. Eu também não sou muito favorável a essa quantidade de pessoas no comitê, porque custa recursos financeiros. Mas comitê é alegria, muvuca [aglomeração de pessoas; jovens em áreas públicas, como forma de lazer], animação. Enfim, é um mal necessário. A política precisa disso. Não existe uma política sem comitê, sem animação, sem bandeiras levantadas. Meu ponto de vista é esse: comitê é animação, é alegria”.

POVOPÚBLICO: PARTICIPATIVO E COM ATENÇÃO EXTREMADA E APLAUSOS

Quando a pergunta foi sobre o porquê de ser o melhor candidato, Dr. Ricardo afirmou que quando veio para Fortaleza dos Nogueiras não tinha intenção de ser prefeito. “Quando eu vim para Fortaleza eu não vim para ser candidato, eu não vim para ser prefeito. Eu escolhi morar nessa cidade junto com a minha família e, devido às circunstâncias eu tive que prestar assistência ao povo. Para a gente praticar o bem, a gente não precisa ser político. (…) E ser prefeito não é uma questão de ser médico, advogado, empresário ou qualquer profissão; ser prefeito é com compromisso, determinação; ter um olhar voltado à população, principalmente àqueles que necessitam de uma saúde de qualidade, de um hospital com atendimento digno, de uma infraestrutura adequada e de uma educação voltada para os nossos jovens. (…) O prefeito precisa reconhecer o povo, precisa ter um olhar voltado a quem realmente necessita. Chega de políticos voltados a grupos, a famílias; temos de ter um olhar coletivo, um olhar parceiro e solidário a todo o povo de Fortaleza”. As pessoas o aplaudiram entusiastas.

RICARDO-ALEANDRO

ABRAÇO AMISTOSO: DR. RICARDO E ALEANDRO CUMPRIMENTAM-SE CORDIALMENTE

Aleandro Passarinho referiu-se diretamente à pergunta quando disse: “Respondendo à pergunta: eu sou o melhor candidato, porque eu tenho os melhores projetos para Fortaleza dos Nogueiras”, o que provocou aplausos uníssonos. E continuou enfaticamente: “Eu sou o melhor candidato, porque eu conheço as necessidades do meu povo, conheço a cidade e conheço o sertão; sou o melhor candidato porque a Fortaleza dos Nogueiras precisa de um gestor, ela não precisa de um prefeito, precisa de um administrador, que atue fortemente em todas as áreas da cidade e do sertão”. Neste momento, mais e mais aplausos. “Nossa cidade está precisando de um administrador, prefeito aqui já teve muitos, administrador não teve ainda. Então, eu sou o melhor candidato porque eu me preparei para esse momento. Eu me formei em administração de empresas, fiz uma pós-graduação em gestão pública. Eu conheço todas as áreas que precisam de projetos, eu sei fazer projetos, eu sei dar entrada em projetos, eu sei aonde alancar recursos para cidade. Eu sou o melhor candidato porque estou preparado para de uma vez por todas, resolver os problemas do nosso município. Eu não tenho nenhuma intenção de ser o melhor prefeito de minha cidade, minha intenção é ser o melhor prefeito do Maranhão”, os aplausos foram insistentes.

Um dos objetivos primordiais do encontro foi firmar convênio e demais subsídios para o Programa Vida Nova, independente de qual dos dois candidatos seja eleito, ao que ambos ratificaram total apoio e auxílio ao Programa.

Na ocasião os candidatos assinaram um termo de compromisso corroborando subsidiar e suprir o Conselho Tutelar no básico necessário.

 

N. R.: É preciso enfatizar aqui a imparcialidade das instituições que promoveram o encontro entre os candidatos, o qual foi tão democrático, que ninguém foi barrado de assistir. Foi algo salutar, próspero e, que de fato promoveu a cidadania. Logo, a democracia foi exercida no mais alto patamar. Assim, está de parabéns todos os organizadores e o público, que se comportou muito bem, sobretudo na hora dos aplausos.

Há que se destacar a lisura e a retidão de Claudete Carvalho, que conduziu com maestria o encontro, sem em momento algum pender para um ou outro lado. Todavia, as pessoas que pensam o contrário é porque são pequenas, medíocres e não sabem respeitar o direito democrático, que os outros têm de aplaudir – o mínimo que se espera de uma país livre, no qual se pode ir e vir, e fazer escolhas.

As pessoas que julgaram negativamente a imparcialidade do encontro, são desequilibradas, não conseguem aceitar manifestações, que embora salutar, são contrárias ao que elas pensam. A estas pessoas, o repúdio e a tristeza da Gazeta Online G, e o pesar, por ter sido necessário escrever esta nota.

Facebook Comments
COMPARTILHAR
Artigo anteriorExpressiva reunião da coligação Avante Fortaleza nas localidades Gameleira e Piaçaba
Próximo artigoCiretran realiza blitz educativa em Fortaleza dos Nogueiras
Alex de Brito Limeira é jornalista e escritor. Esteve sete vezes entre os melhores novos escritores do país em concursos literários promovidos por casas editoriais de São Paulo e Rio de Janeiro. Escreve poesias e ficção. Em Abril de 2011 lançou o romance O Crime da Santa. Foi repórter no jornal Folha do Maranhão do Sul, em Carolina – MA; Instrutor autônomo de redação discursiva e dissertativa. Em Fortaleza dos Nogueiras é pioneiro na comunicação social - jornalismo, ao fundar, editar e apresentar o Jornal da Cidade, na rádio Cidade FM de 2003 a meados de 2004. Em seguida fundou a Gazeta Sul Maranhense (Fortaleza dos Nogueiras e região) e o site Gazeta OnlineG, ambos em ampla expansão.