Globo e Televisa deram propina por direitos de Copas, diz delator

0
53

Segundo Alejandro Burzaco, ex-chefe de uma companhia de marketing esportivo, as duas empresas pagaram, juntas, US$ 15 milhões pelos direitos de transmissão

Rede Globo: Propina teria sido paga a um executivo da Fifa (FOTO – Globo/Divulgação).

Nova York – Uma testemunha da acusação no julgamento por corrupção de três ex-dirigentes do futebol testemunhou nesta quarta-feira que o mexicano Grupo Televisa e a brasileira Globo participaram de uma propina de 15 milhões de dólares para um executivo da Fifa para assegurar direitos midiáticos para as edições de 2026 e 2030 da Copa do Mundo.

Alejandro Burzaco, ex-chefe da companhia de marketing esportivo Torneos y Competencias, testemunhou por um segundo dia em um tribunal dos Estados Unidos, acrescentando detalhes ao testemunho de terça-feira de que Televisa, Globo e Fox Sports estavam envolvidas nas propinas.

No primeiro julgamento em uma investigação dos EUA sobre subornos envolvendo a Fifa, Burzaco disse a membros do júri em tribunal federal no Brooklyn nesta quarta-feira que a Torneos, Televisa e Globo pagaram propina para Julio Humberto Grondona, um executivo da Fifa que morreu em 2014.

Burzaco disse que a Torneos e a Fox Sports, uma unidade da Twenty-First Century Fox, eram parceiras em uma venture de marketing esportivo, a T&T Sports Marketing Ltd.

A porta-voz da Fox Sports Terri Hines disse na terça-feira que a parceria da T&T era com uma afiliada da Fox Sports, a Fox Pan American Sports, que era de propriedade majoritária de uma empresa de private equity, e que a Fox Sports não possuía “controle operacional” sobre a T&T.

“Quaisquer sugestões de que a Fox Sports sabia ou aprovava quaisquer propinas são enfaticamente falsas”, disse.

A Globo informou na terça-feira que “não pratica nem tolera qualquer pagamento de propina” e que irá cooperar com autoridades dos EUA.

A Televisa se negou a comentar na terça-feira e não pôde ser contatada imediatamente nesta quarta-feira.As três companhias midiáticas não foram acusadas no caso nos EUA.

O testemunho de Burzaco descreveu propinas para dirigentes em troca de direitos midiáticos no futebol internacional, incluindo pagamentos regulares chegando até a dezenas de milhões de dólares para direitos da Copa América e Copa Libertadores.

Jorge Delhon, um advogado argentino que trabalhava para o programa de TV estatal Futebol para Todos, cometeu suicídio na noite de terça-feira, horas após Burzaco testemunhar que Delhon recebeu propinas, segundo a polícia argentina.

Os três ex-dirigentes em julgamento nos EUA são Juan Ángel Napout, ex-presidente da Conmebol e da federação do Paraguai; Manuel Burga, ex-presidente da federação peruana; e José Maria Marin, ex-presidente da CBF.

Burzaco testemunhou que estava envolvido no pagamento de propinas para todos os três. Em declarações de abertura na segunda-feira, os advogados dos ex-dirigentes negaram recebimento de propinas.

 

 

 

Fonte: Exame com adaptações de Gazeta OnlineG

Facebook Comments
COMPARTILHAR
Artigo anteriorRigo Teles garante VAN para levar pacientes de hemodiálise de Sitio Novo para Imperatriz
Próximo artigoParlamentares discutem acerca de precatórios do Fundeb e quilometragem de transporte escolar
Alex de Brito Limeira é jornalista e escritor. Esteve sete vezes entre os melhores novos escritores do país em concursos literários promovidos por casas editoriais de São Paulo e Rio de Janeiro. Escreve poesias e ficção. Em Abril de 2011 lançou o romance O Crime da Santa. Foi repórter no jornal Folha do Maranhão do Sul, em Carolina – MA; Instrutor autônomo de redação discursiva e dissertativa. Em Fortaleza dos Nogueiras é pioneiro na comunicação social - jornalismo, ao fundar, editar e apresentar o Jornal da Cidade, na rádio Cidade FM de 2003 a meados de 2004. Em seguida fundou a Gazeta Sul Maranhense (Fortaleza dos Nogueiras e região) e o site Gazeta OnlineG, ambos em ampla expansão.