A Gazeta OnlineG ouviu donas de casa, jovens, professoras, empresárias e corroborou que cada mulher tem mesmo sua peculiaridade

MULHER2

Como se define um ser indissociável e, que mesmo sendo inerente à vida humana ainda tem barreiras e tabus a derrubar? Talvez seja mesmo indefinível, porque não se pode explicar a dádiva, seguida da beleza e do mistério que é a vida. Mas mesmo assim, procuramos definir e, fomos pelo caminho mais simples, na simplicidade de Antônia Braúna Magalhães, a D. Toinha – Primeira tabeliã do cartório do ofício único de Fortaleza dos Nogueiras, que se limitou a dizer que ser mulher “é uma graça divina. É uma felicidade”. E arrematou: “Estou com 93 anos e ainda bordo. Graças a Deus sou muito feliz com meus filhos, foram muito bem-criados”.

Isso remete-nos ao poder que a mulher tem, dentre outros, de perpetuar a espécie. Como diz a professora Valda Cleres Teixeira. “Maria dentro da bondade dela, de sua humildade, foi poderosa o suficiente para ser escolhida para ter o filho de Deus”. E lembrou mais: “O poder que Dalila teve sobre Sansão e, todas as mulheres que a Bíblia cita, mostra seu determinado poder”. E concluiu ao dizer que “a mulher professora é também poderosa, pelo fato da docência; e ainda chegar em casa, com trabalhos da escola para fazer; ser esposa, mãe, dona de casa; conciliar tudo isso, a mulher tem de ser mesmo poderosa”.

Para Lusenir Assunção ser mulher é uma amplitude que agrega múltiplas funções: “dona de Casa, enfermeira, catequista. E ela não precisa ser uma professora para ser a professora em casa”.

Definição cabal de tudo que uma mulher agrega, deve-se observar Valdene Mendes – evangélica, empresária, mãe, dona de casa, esposa; tem Deus como o centro; é “submissa a Ele e em seguida ao esposo”, tal qual manda a bíblia. Ela entende que as mulheres “não são mais o sexo frágil da história”. Todavia, “faço meu papel de cuidar das nossas filhas e dos afazeres do lar. Como empresária, posso dizer que me encontrei nessa categoria e amo o que eu faço. Procuro sempre administrar minha empresa fazendo com que minhas colaboradoras e clientes sintam prazer de vir até a loja, comprar e saírem satisfeitos”. De onde vem a força? Arisquei a perguntar. “É uma força diária”, ela responde. “A retiro dos ensinamentos da palavra de Deus”.

Mas tudo inicia mesmo após a puberdade, com a adolescência quando “a gente começa a amadurecer, a tomar decisões mais responsáveis; começamos a ver o mundo de uma forma diferente” analisa Luana Sousa, 18 anos; 3º ano A da Escola Marcelino Machado.

“Nos dias de hoje definir como é ser mulher, principalmente nessa passagem da adolescência é algo complicado, porque existe uma grande diversidade”, completa Micheli Dourado, 17 anos, 3º B da mesma escola. “Cada mulher tem uma personalidade diferente, tem suas características próprias. Mas a gente ver que tem um lugar no mundo, tem o nosso espaço que foi conquistado ao longo do tempo . E começamos a ir em busca desse espaço”.

Ao final o editor da Gazeta, poeta e escritor Alex Limeira, ofereceu seu poema às entrevistadas.

SIMPLESMENTE MULHER

Tem dias que acordo mal
Explôdo por qualquer coisa
Ao meio-dia já estou bem
À noite é sempre uma incerteza
Sou perpetuadora da espécie
Sou eu quem cuida da casa
Organizo o guarda-roupa
Junto o que você espalha.
Fico irritante na TPM
Mas, doce e meiga
A carinhos e puros sentimentos.
Levo e trago as crianças da escola
Gosto de receber os amigos em casa.
Falo bastante, mas nada sem proveito
Vou às compras, reclamo do preço,
Sempre tenho razão!
Gosto de falar ao telefone
De elogios, de saber que sou desejada, amada.
Não suporto traição, mas sei perdoar
O que você chama de deslize.
Brigo pelo lar; meus filhos são tudo
Sempre sonhei um grande amor
Vivi um conto de fadas
Mas sou realista
Luto por meus ideais, já derrubei tabus
Sou trabalhadora, profissional
Brigo sem “motivo”,
Choro por qualquer “bobagem”.
Me derreto em finais de novela
Sou impulsiva, explosiva
Porém, amorosa e “frágil”
Sei conquistar você
E te fazer acreditar em tudo que falo
Eu tenho uma intuição como os videntes
Por isso, meus planos são sempre os mais norteados
Sou parte de você e você está em mim
E não é só por causa de uma costela
É porque sou assim: simplesmente mulher.

 

Facebook Comments