Sessão da CVFN discute reforma de escolas e transporte escolar. Mas à baila, saúde de FN

0
335

A sessão ordinária de segunda-feira (16) iniciou com a discussão seguida da aprovação do requerimento de autoria do vereador Renato Arruda (PRP), que pede um carro (transporte escolar) que substitua outro em um eventual concerto ou reparo.

Em seguida foi aprovado unanimemente um outro requerimento, de autoria do vereador Gesmar Nogueira (PSDB) pedindo a denominação de Avenida Agenor Nogueira ao trecho que liga o posto de saúde do bairro Trezidela ao local conhecido como Gela Goela.

Gesmar Nogueira (PSDB) parabenizou os autores dos requerimentos aprovados. E agradeceu aos demais vereadores a aprovação de seu requerimento, justificando que colocar o nome de avenida Agenor Nogueira, é uma justa homenagem, que faz jus ao nome de um dos filhos dos fundadores da cidade.

Todavia, o ápice das discussões deu-se sobre o transporte escolar e, mais uma vez os serviços de saúde do município. Parlamentares reclamavam, dentre outros, acerca do plantão médico.

A vereadora Maria José (PSD) iniciou sua fala reclamando a falta de um cinegrafista amador, que segundo a parlamentar esteve na sessão passada gravando sua fala sobre a saúde. “Que pena que nosso cinegrafista amador hoje não veio, porque vou falar da saúde. (…) ele só vem quando ver que vai se falar da saúde”.

Em seguida a vereadora dirigiu-se ao editor da Gazeta OnlineG, parabenizando-o por seu trabalho jornalístico. “O Alex é um profissional, pelo qual tenho o maior respeito. Quero parabenizá-lo pelo serviço que ele vem prestando, não só a essa Casa, mas a todo nosso município”.

Maria José deu seguimento à sua fala, referindo-se ao transporte escolar. Disse que é preciso que a secretária e a empresa tomem providências sobre um “ônibus que quebrou e não colocaram nenhum para substituir. Ficou a semana inteira sem transporte e os alunos perdendo aula. Quem sai prejudicado são os alunos e, isso não é correto”.

Ao referir-se mais uma vez à saúde, a vereadora Maria José falou sobre um casal que tem um filho doente e, que necessita de uma cirurgia. Segundo a vereadora o pai foi a Imperatriz por intermédio da secretaria de saúde do município, mas a cirurgia não foi feita. “Fizeram esse pai ir a Imperatriz, gastando, voltou, não fizeram a cirurgia”, disse a parlamentar. “As pessoas não têm a capacidade de dar a informação correta para gente. Mas só sei que lá [Imperatriz] disseram que a prefeitura precisava pagar alguma taxa. O menino voltou sem fazer a cirurgia”.

A vereadora disse que procurou o vereador Gesmar Nogueira e, este interveio junto ao município e, a cirurgia foi marcada para dia 04 deste mês “e nada resolveram”. Segundo a vereadora “a criança vinha ao médico e nada de resolver”. Maria José afirmou que houve briga da mãe da criança para conseguir encaminhamento para ser atendida em Balsas. “Chegando em Balsas a hérnia já estava estrangulada, tiveram que fazer uma cirurgia de emergência. E não teve condições de ficar em Balsas, está na UTI, em Imperatriz”, afirmou a parlamentar.

O vereador João Fernando – Túlio (PTB) afirmou que “se você tem uma emergência, você procure um vereador da base para conseguir as cirurgias”. Mas a vereadora Maria José foi incisiva ao rebater as palavras de Túlio. “Nós vereadores não podemos estar interferindo na saúde, lá não é de brincadeira; lá não tem vereador de base, não tem vereador de oposição. Lá é para atender quem quer que seja. Porque se for para vereador estar na porta de hospital, tire a diretora e coloque um vereador lá. Pois faça-se o convite para o vereador da base assumir a direção do hospital ou secretaria de saúde”.

A vereadora Joilma Santos (PSDC) em resposta ao que Maria José falou disse que com conversa, diálogo resolve o que precisa. “Eu trago algum exame da Gameleira, do Crueira. Eu procuro a Antônia Maria; as vezes não pode no momento, volto a semana que vem. Cirurgia mesmo. Tem duas cesarianas, que eu consegui marcar com o Dr. Caio. E assim, procuro o Celso, sou bem atendida. E quem me procura, se eu puder ajudar, vou mesmo: venho hoje, não dá certo, vou amanhã e, assim… a gente também tem que ter um pouquinho de paciência, porque nem sempre se consegue tudo na hora certa, no momento certo”.

O vereador Edimar Dias (PHS) ver o progresso na administração; evidencia o empenho do governo do Estado no município com “ações importantes”. E reconhece a gestão municipal “pela boa vontade de nosso gestor”.

E ratificou que o município tem progredido. “Eu já disse aqui, que o nosso município está andando para melhor. E ao finalizar esta gestão vocês entenderão o que eu estou dizendo, porque Fortaleza vai dar um avanço”.

Sobre o que a vereadora Maria José falou a respeito da saúde, Edimar disse que vai empenhar-se em promover um encontro para debater a saúde: “Para que a gente sente com o secretário, o gestor, para que tenha um debate, para que entendamos o que está acontecendo e levar algumas soluções. Vejo que a saúde e a educação precisam ser priorizadas”. E corroborou que “quando o povo demonstra insatisfação, em qualquer situação, como por exemplo, na saúde, é porque realmente está alguma coisa a desejar, alguma coisa está dando errado e, se estar dando errado, vamos tentar concertar”. E arrematou dizendo que todos têm de dar o melhor para que as coisas aconteçam. “Nós precisamos doar de nós o melhor e, falando da saúde: o gestor, secretário, legislativo, a comunidade, contribuir todos para que aconteça o melhor”.

Abaixo vereador Carlos Zoel (PP) reclamando acerca do transporte escolar e reformas de escola.

Vereador Edimar Dias, retruca discurso de Carlos Zoel, quando ele, segundo o vereador Carlos Zoel, teria dito que renunciaria o cargo de líder de governo, se encontrasse algo errado na reforma das escolas. Edimar em vídeo abaixo confirma, mas esclarece que na época disse que renunciaria a liderança do governo, se o gestor não corrigisse os erros das reformas – algo que o prefeito está fazendo.

Finalizando a sessão, como de praxe, o presidente da Casa tece as considerações finais.

Facebook Comments