Vereador Antônio Félix cria projeto de lei para cultivo da planta crotalária, que tem efeito repelente

0
186

Na mesma sessão, os professores novamente reivindicam acerca dos precatórios do Fundeb e recebem apoio dos vereadores

A sessão da câmara de vereadores de segunda-feira (20) foi marcada por uma iniciativa relevante de combate ao mosquito Aedes Aegypti. Trata-se do projeto de lei de autoria do vereador Antônio Félix (PSL), provado por unanimidade, que dispõe sobre a promoção do cultivo das plantas citronela e crotalária, ambas consideras repelentes e, eficazes no combate ao mosquito transmissor da Dengue e Chikungunya. “A crotalária atrai as libélulas, que são predadores naturais do Aedes Aegypti, diz a redação do projeto”.

Antônio Félix explicou que a prefeitura, via secretaria de meio ambiente ou saúde fará “a distribuição de mudas ou sementes”. “É uma planta temporária”, disse ele. “O ciclo dela é 4, 5 meses, mas as suas sementes, logo nas primeiras chuvas já nascem”.

O autor do projeto disse ainda que “é um combate ao mosquito da dengue de uma maneira muito barato para o município”.

Professores voltam à baila sobre precatórios do Fundeb, parlamentares os defende

A Casa recebeu novamente a visita dos professores, que reivindicam repasse de parte dos recursos dos precatórios do Fundeb. Em nome da classe falou o professor Itamar Ribeiro. “Sabemos que este dinheiro está na conta desde agosto. Temos a fé em Deus que vamos receber, nós não vamos desistir, porque é nosso direito adquirido ao longo dos anos”.

Itamar entende que falta “diálogo” e, que deveria vir à Casa legislativa prefeito, sindicato dos professores e vereadores para chegarem um acordo.

A vereadora Maria José (PSD) disse que “o silêncio é o que mais incomoda. Pois até agora não tiveram com os professores, o devido respeito, pois nunca fizeram um comunicado a nós professores. Soubemos por terceiros que este recurso havia entrado nos cofres do município”.

O vereador Gesmar Nogueira (PSDB) mais uma vez se colocou à disposição dos professores e disse que junto com a vereadora Maria José e os demais está disponível para que se possa “abrir as portas de qualquer órgão do governo, tanto na esfera estadual, federal, no judiciário para que a gente encontre a solução para o caso de vocês”. Mas ressaltou: “O que tinha de ser feito, foi feito. O sindicato de vocês interpelou na justiça uma ação reivindicando seus direitos, (…) só resta aguardar a decisão da justiça”.

O parlamentar após sua fala voltou novamente à tribuna para responder o vereador Magno acerca de sua fala na sessão anterior. “Vossa excelência disse que Fortaleza dos Nogueiras foi praticamente destruída na gestão passada, com ruas intrafegáveis. Quero refrescar sua memória e dizer que todos os gestores que aqui passaram deixaram sua contribuição” e, citou alguns prefeitos lembrando, que o ex-prefeito Eliomar Nogueira fez mais de dez ruas, citando algumas; “Rua do Silas, que era intrafegável, a Rua da Vereadora Branca; a Rua do vereador Cazoel, também foi asfaltada no governo de Eliomar Nogueira; a Rua dos Sás, foi asfaltada e iluminada na gestão do prefeito Nogueira”. E o parlamentar seguiu citando mais ruas e o calçamento do bairro Vila Lêda, que foi praticamente todo ele pavimentado no governo de Nogueira.

Em se tratando de pavimentação o vereador Edimar Dias (PHS) ao referir-se à avenida 05 do bairro Área Avançada disse que “antes que o saneamento viesse e escavasse a rua já estava cavada pelos moradores para por cano e fazer encanação de água”. O parlamentar pediu que haja uma fiscalização neste sentido.

Edimar Dias também defendeu o diálogo entre professores, executivo e a Casa. “Para que este diálogo? Para que se esclareça as coisas. E aí se entende, se há boa vontade, se não há; se quer, se não quer; porque não?”.

O parlamentar aconselhou que o sindicato pressione a justiça, pois esta é lenta. “Acredito que o gestor não recorrerá, se vier um parecer favorável a vocês” [parecer que atesta legalidade para o prefeito passar parte dos recursos dos precatórios do Fundeb para os professores].

Mas o vereador Carlos Zoel (PP) não vê desta forma. Para ele o prefeito “não tem interesse” em repassar nada aos professores. “E se eles [professores] ganharem, ele [prefeito] vai recorrer.

E o parlamentar seguiu falando de obras inacabadas como os portais e demais assuntos que ele tem batido na mesma tecla desde o início do ano.

Também enunciou que doou o terreno pertencente a Liga Esportiva de Fortaleza dos Nogueiras, para construção do Estádio. “Eu jamais estou aqui para atrapalhar a administração, estou para ajudar. Mas também não estou aqui para esconder certas coisas”.

Ao elogiar o prefeito Aleandro pelas obras que tem realizada por intermédio do governo do Estado, o vereador Magno (PCdoB) disse que “nuca viu um recurso vir de São Luís caminhando de lá para cá, se não tiver uma pessoa para ir buscar”.

A vereadora Joilma Santos (PSDC) ao se colocar favorável aos professores enunciou que eles “já têm o apoio da Casa”. E aconselhou: “Vamos aguardar a decisão da justiça e, espero que seja favorável a vocês, pois estou torcendo por isso”. E continuou: “Eu vejo Fortaleza andando, andando e andando. Você ver ruas intrafegáveis que hoje estão trafegáveis”.

Público: Atento às discussões

Sobre os professores disse que é “favorável ao diálogo”, e ver que “o pior do acordo é melhor do que uma briga na justiça”.

A Casa ainda recebeu a visita do secretário de meio ambiente, falando que é necessário as pessoas construir sumidor de água (espécie de fossa para escoamento de água de pia e chuveiro) e o Ouvidor do município, Luís Lopes de Carvalho (o ex-vereador, Miúdo).

Facebook Comments